Para orientar os cristãos, Lutero escreve uma carta ao reverendo Dr. Johannes Hess, intitulada “Se alguém pode fugir de uma praga mortal”.
Pelo teor da mensagem, pode-se observar que Lutero obedeceu a todas as recomendações médicas para evitar a contaminação das pessoas, seguindo afastamento social. Ele também fez os tratamentos médicos necessários para que sua saúde estivesse bem.  

Ele escreveu:

“Pedirei a Deus para, misericordiosamente, proteger-nos.

Então farei vapor, ajudarei a purificar o ar, a administrar remédios e a tomá-los.

Evitarei lugares e pessoas onde minha presença não é necessária para não ficar contaminado e, assim, porventura infligir e poluir outros e, portanto, causar a morte como resultado da minha negligência.

Se Deus quiser me levar, ele certamente me levará e eu terei feito o que ele esperava de mim e, portanto, não sou responsável pela minha própria morte ou pela morte de outros.

Se meu próximo precisar de mim, não evitarei o lugar ou a pessoa, mas irei livremente conforme declarado acima.

Veja que essa é uma fé que teme a Deus, porque não é ousada nem insensata e não tenta a Deus.”

Martinho Lutero fez seu papel de líder espiritual, que orienta suas ovelhas em meio a tempos de medos e incertezas.

Ao invés de adotarmos a polarização que só nos leva a focar no que é ruim, vamos fazer a nossa parte para encontrar o que há de melhor em nós para abençoar a vida daqueles que estão à nossa volta.

0 ComentárioFechar comentários

Deixe um comentário